Jeferson Walkiu, diretor do CMP, recebe os agasalhos doados pelo Conselho da Comunidade

O Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba entregou na manhã desta sexta-feira (14) 200 agasalhos para os presos que respondem a medidas de segurança no Complexo Médico Penal (CMP). O projeto foi desenvolvido pelo órgão com o apoio do Depen e dos presos da Penitenciária Central do Estado – Unidade de Progressão (PCE-UP), que confeccionaram os moletons e calças como um ato solidário de inverno.

Participaram da entrega Isabel Kugler Mendes, presidente do Conselho da Comunidade, Elisabete Subtil de Oliveira, coordenadora do órgão, Dionéia Froes Dresch, representante do Conselho, e o diretor do CMP, Jeferson Walkiu.

O projeto faz parte do programa Recomeço, desenvolvido pelo Conselho da Comunidade como plataforma para gerar oportunidade e diminuir os efeitos do cárcere dentro de penitenciárias e delegacias. O órgão adquiriu, no começo de junho, 565kg de tecido e ribanas para a PCE-UP, onde os presos participam de um projeto ideal de incentivo ao estudo e trabalho, idealizado pelo Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do Paraná (GMF-PR). Os internos desenvolveram o projeto dos uniformes e confeccionaram as 600 peças (300 uniformes) – as demais 200 peças serão finalizadas na semana que vem.

Para o Conselho, esse projeto teve alcance duplo para cerca de 400 presos do sistema penitenciário do estado. Os detentos da PCE-UP ganharam a oportunidade de remição pelo trabalho e tiveram a chance de participar de um projeto solidário, complemento ao aprendizado desenvolvido na unidade, uma vez que estão sendo preparados para a progressão para o regime semiaberto. Já os presos que receberam os uniformes respondem a alguma medida de segurança e apresentam transtornos mentais, de maneira que a maioria deles já não têm mais contato com a família. Eles não recebem sacolas com itens básicos de alimentação e higiene e são assistidos periodicamente pelo Conselho da Comunidade da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba. Essa é a primeira vez que eles receberam uniformes novos.

Para Isabel Kugler Mendes, o ato tem como objetivo alcançar duas das principais funções do órgão. “Nós trabalhamos com assistência material e pessoal, e também com fiscalização das execuções penais. Eles têm o direito de receber essa assistência da sociedade, principalmente durante o inverno”, afirma.

O programa Recomeço começou a ser executado em 2013 e desde então diligenciou materiais para mais de 50 projetos envolvendo empresas que foram levadas para o sistema, acesso à educação e doação perene de cobertores, fraldas, enxovais, camas e macas, cadeiras de rodas e câmeras de segurança, além de reformas completas ou parciais em unidades de Piraquara e São José dos Pinhais.

Representantes do Conselho da Comunidade durante a cerimônia de entrega dos agasalhos
Internos do CMP recebem agasalhos feitos por outros presos
Atualmente, 200 internos respondem a medidas de segurança no CMP. Eles estão custodiados nas galerias 1 e 2
Dionéia Froes Dresch, conselheira do programa Recomeço, entrega agasalhos novos para os internos