dscn0001

De acordo com levantamento do jornal Folha de S.Paulo, 137 presos morreram no país entre 1º e 17 de janeiro de 2017, ou 36,8% do total de mortes no sistema carcerário durante todo o ano passado. De acordo com os dados, em 2016 foram 372 mortes, mais de uma por dia.

Os números de 2017 refletem, principalmente, os motins de Roraima, Rio Grande do Norte e Amazonas, mas já se espalham por outros quatro estados, inclusive o Paraná. No estado do Sul, cinco presos morreram desde domingo (15), quando 28 escaparam da Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP I) depois da explosão orquestrada de parte de um dos muros – dois morreram no confronto inicial, dois em uma chácara em Quatro Barras e um quinto na madrugada desta terça-feira (17) em Piraquara.

O Amazonas registra o maior número de óbitos. No dia 1º, um massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) deixou 56 mortos. No dia seguinte, mais quatro detentos morrem na Unidade Prisional de Puraquequara (UPP), em Manaus. Seis dias depois, uma rebelião na cadeia de Raimundo Vidal Pessoa deixou mais quatro mortos. E três outros corpos foram encontrados na mata ao lado do Compaj. São 67 mortos no estado amazônico.

No Rio Grande do Norte, pelo menos 26 presos morreram durante a rebelião que aconteceu neste sábado (14) na Penitenciária de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal. Em Roraima, 33 presos foram mortos na maior prisão de Boa Vista, capital do estado, a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo.

Dois outros detentos foram mortos no “Cadeião”, em Maceió, no Alagoas; dois presos foram mortos em uma rebelião na Penitenciária Romero Nóbrega, na cidade de Patos, no Sertão da Paraíba; e dois presos foram mortos no estado de São Paulo, na Penitenciária de Tupi Paulista.

A lista

Amazonas – 67

Roraima – 33

Rio Grande do Norte – 26

Paraná – 5

São Paulo – 2

Alagoas – 2

Paraíba – 2

2016

Em 2016, ao menos 372 pessoas foram mortas em unidades prisionais. Mais da metade dos crimes (182) concentrou-se na região Nordeste. O ranking é liderado pelo estado Ceará, com 48 assassinatos. A região Norte fica em segundo lugar, com pelo menos 78 assassinatos, a maior parte no Pará. No Paraná, oito detentos e um agente penitenciário morreram. Nos últimos dez anos, 16 agentes penitenciários perderam a vida em todo o estado.

O estudo completo pode ser lido aquiaqui e aqui.

Anúncios