30160046783_8e1976fb39_k
Foto: Divulgação/CNJ

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, visitou neste sábado (5) o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. O local abriga 15 mil detentos e enfrenta problemas gravíssimos de superlotação, falta de servidores e precariedade de serviços básicos. Na Penitenciária do Distrito Federal II (PDF II), a presidente do STF visitou uma ala onde havia uma cela com 18 homens no espaço de 8 vagas. Nessa penitenciária, cerca de 3,2 mil condenados cumprem pena, embora só haja 1,4 mil vagas. Já no Centro de Detenção Provisória (CDP), o cenário é mais dramático: aproximadamente 4 mil presos dividem 1,6 mil vagas.

A série de visitas e constatações faz parte de um grande relatório de análise da situação carcerária no país. Cerca de 622 mil pessoas cumprem pena ou aguardam julgamento no Brasil, de acordo com as estatísticas mais recentes do Ministério da Justiça. (CNJ)

(http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/83790-ministra-carmen-lucia-faz-visita-surpresa-ao-complexo-penitenciario-da-papuda)

Já no domingo (6) o encontro foi entre o Papa Francisco e mil detentos de 12 nacionalidades, todos presos na Itália. Eles participaram de uma missa na Basílica de São Pedro. “Às vezes, certa hipocrisia quer vê-los unicamente como pessoas que cometeram crimes, para que o único caminho seja o da prisão. Esquecemos que somos todos pecadores e que várias vezes somos prisioneiros sem nos darmos conta disso”, disse, durante a homilia. Ele também defendeu uma justiça que não seja exclusivamente punitiva e pediu melhores condições de vida nas prisões. (O Globo)

(http://oglobo.globo.com/sociedade/religiao/papa-francisco-reza-missa-para-mil-presos-no-vaticano-20420991)

O juiz, as crianças e os pais presos. João Marcos Buch, juiz de Direito da Vara de Execuções Penais e Corregedor do Sistema Prisional da Comarca de Joinville, em Santa Catarina, concluiu com louvor um projeto no último Dia das Crianças nos presídios da Comarca. Em parceria com uma editora, os próprios pais, encarcerados, presentearam as filhas e os filhos com livros. As crianças também foram recebidas com pipoca e suco. (Justificando)

(http://justificando.com/2016/10/20/o-juiz-as-criancas-e-os-pais-presos/)

Anúncios