18
Foto: Eriksson Denk

Dois graves cenários de violação dos Direitos Humanos estão em evidência no país.

O primeiro, e mais alarmante, acontece diariamente no Conjunto de Presídios do Curado, em Pernambuco, que tem capacidade para pouco mais de 2 mil presos e recebe 7 mil atualmente. Ao longo das semanas, sessões de luta livre são organizadas pelos próprios detentos e valem premiações em dinheiro. Os embates só terminam quando um dos lutadores desmaia.

Braços e facões no Curado, em Pernambuco. (Fantástico)

(http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/10/detentos-promovem-lutas-no-estilo-mma-em-penitenciaria-de-pernambuco.html)

A segundo violação parte do próprio governo federal.

O Estado brasileiro estuda acabar com as visitas íntimas nos presídios federais. No entanto, a Lei de Execução Penal, de 11 de julho de 1984, estabelece no CAPÍTULO IV, na seção II, destinada aos direitos dos detentos, o seguinte texto: Art. 41, inciso X, “visita do cônjuge, da companheira, de parentes e amigos em dias determinados”; além de “visitas semanais de duas pessoas, sem contar as crianças, com duração de duas horas.”

Governo estuda acabar com as visitas íntimas nos presídios federais. (Época)

(http://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2016/10/governo-estuda-acabar-com-visitas-intimas-nos-presidios-federais.html)

Anúncios